SUPORTE

Perguntas frequentes

Quais os requisitos básicos para instalar um WiLight?


- Ter uma rede WiFi e boa intensidade no local a ser instalado. - Ter o neutro da sua instalação elétrica disponível na caixa onde será instalado. - Ter espaço suficiente na caixa para o WiLight. Verificar de não está muito poluida com excesso de fios.




Posso instalar um WiLight numa caixa junto com uma tomada?


- Sim, por ser modular e compatível com a linha Sleek da MarGirius, você pode instalar o WiLight na mesma caixa. O WiLight ocupa um espaço equivalente a um módulo da MarGirius.




O que eu preciso para acessar meu WiLight pela internet?


- Os WiLights da segunda geração (C-103, V-104 e I-110) já podem ser acessados pela internet diretamente utilizando o WiLight Cloud. O WiLight Cloud é o nosso servidor nas nuvens, para utilizá-lo é necessário fazer o cadastramento previo. - Os WiLights da primeira geração (I-001, D-001, I-003, D-003, etc.) não tem suporte nativo ao WiLight Cloud e necessitam do WiLight HUB para se conectarem. Se você tiver WiLights de ambas gerações o ideal é utilizar o WiLight HUB para todos que estão na mesma rede. - Os WiLights da primeira geração também podiam ser acessados pela internet mediante abertura de porta do roteador e utilização de um IP disponível na iternet fornecido pelo provedor de acesso. Esta funcionalidade ainda está mantida inclusive nos WiLights da segunda geração. Hoje recomendamos que se utilize o WiLight.




Os WiLights são compatíveis com Google Assistant / Google HOME?


- Sim tanto os da primeira geração como os da segunda geração são, mas para isso eles devem estar configurados para utilizar o WiLight Cloud. - Os da primeira geração precisam do WiLight HUB para se comunicarem com o WiLight Cloud, já os de segunda geração tem suporte nativo e não precisam. - Se você tiver WiLights de ambas gerações o ideal é utilizar o WiLight HUB para todos.




Quais as recomendações para quem está construindo e pretende usar os WiLights?


Note que estamos dando recomendações e com excessão das duas primeiras, as outras não são impeditivas para a instalação e sim facilitadoras. - Prever a presença do neutro nas caixas onde serão instalados. - Ter uma rede WiFi com bom sinal em todos os pontos onde for instalar um WiLight. - Para residências maiores, considerar a utilização de roteadores com a tecnologia Mesh. - Evitar cabos de seção maior que 1,5 mm2 para circuitos de iluminação, uma vez que com a utilização de LEDs a carga de iluminação reduziu bastante. Com a realidade atual, um bom projeto elétrico, visando otimização de custos, adotaria esta estratégia. - Fazer um bom projeto elétrico, minimizando a passagem de cabos de circuitos que não sejam dos WiLights pela caixa, desta forma otimizando o volume disponível. - Caso a caixa esteja muito "poluida" de cabos, considerar o uso de caixas 4x4 em lugar de 4x2.




Os WiLights são compatíveis com o Home Assistant?


- Os WiLights da segunda geração tem suporte homologado ao Home Assistant e a inegração é muito simples. Os WiLights são descobertos via SSDP. - Os WiLights da primeira geração não tem suporte. - Um ponto importante a ser frisado é que o acesso ao Home Assistant é via WiFi Local e nesse caso o ideal seria não configurar o acesso ao WiLight Cloud e deixar que a integração ao Google Home e Alexa seja feita pelo Home Assistant. A não configuração do acesso ao WiLight Cloud deixa a comunicação com os WiLghts mais rápida.





Downloads
Vídeos